De ”The Strangers” a ”Sons of Anarchy,” Stephen King partilha o que é e não está agradecido em 2008

Stephen King

Actualizado 14 de Novembro de 2008 às 05:00 EST

Cultura Pop 2008: O bom e o mau

Para mim, a escolha das férias entre o Dia de Acção de Graças e o Natal é fácil. Eu escolho o Dia da Turquia todas as vezes. O Natal, que implica a Grande Marcha da Morte Americana no Shopping, é estressante. O Dia de Ação de Graças, por outro lado, é um dia de paz na minha casa. Todos se empanturram e depois escolhem o seu favorito pós-festa: o futebol ou uma sesta (eu escolho sempre o último). Isso também me dá a chance de fazer uma lista de gratidão, que necessariamente inclui meus momentos favoritos na cultura pop nos últimos 12 meses. Não que eu esteja grato por tudo. Ainda não terminei a lista deste ano, mas estou bem encaminhado. Seguem-se alguns exemplos.

Obrigado por Get Fuzzy, a banda desenhada mais engraçada do planeta Terra. O doce Satchel Pooch e o completamente louco Bucky B. Katt são muito mais divertidos que o Odie e o Garfield. Não obrigado por Lynn Johnston’s For Better or for Worse, que costumava ser uma combinação vencedora de humor e pathos. Agora a família Patterson foi despejada em algum buraco de minhoca estranho no tempo e eu não tenho idéia do que está acontecendo ou de quem é alguém.

Obrigado pelo The Daily Beast, o melhor site de notícias e recursos dos últimos anos. Não, obrigado pelo Drudge Report; fale de carneiro vestido de cordeiro. É o mesmo velho BS de direita em roupas de tablóide sexy.

Fala da Internet, obrigado pelo The Filthy Critic (tão vulgar e divertido como sempre) e nenhum agradecimento pela proliferação daquele snafu linguístico conhecido como text-speak: Diz-me à LOL, BFF, e eu digo-te à KMA.

Prazeres por “Viva La Vida”, o melhor single do ano, “Disturbia” (segundo classificado), e “The Pretenders’ Break Up the Concrete”, o melhor álbum do ano (até agora). Os vice-campeões no departamento de álbuns são Feed the Animals, de Girl Talk, e Black Ice, de AC/DC. Mas quando se trata de Wally World tentando encurralar o mercado nas vendas do novo AC/DC? Não, obrigado.

Obrigado pela PBS’ The Last Enemy, um techno-thriller que faz 24 parecerem estritamente uma caixa de areia por comparação. (A melhor parte aqui é o elemento humano; um matemático nerd apaixona-se pela viúva do seu irmão – depois de dormir juntos, descobrem que o irmão ainda está vivo). Um agradecimento pela Vida em Marte – grande história, diálogo de vagabundos, Harvey Keitel a fazer o tipo de polícia da velha guarda que já vimos milhares de vezes… e tens a certeza que os anos 70 pareciam mesmo aquele plástico? Não, obrigado pelo The Shield. Estou a caminhar muito para descobrir como funciona a dinâmica Vic Mackey/Shane Vendrell, mas a história da última temporada é tão complexa que não se consegue distinguir os arménios dos Biz Lats sem um cartão de pontuação. Também não há agradecimentos para Sons of Anarchy, que acabou por ser The Sopranos on Harleys. Onde estão Peter Fonda e Dennis Hopper quando você precisa deles?

Greatest TV thanks for Breaking Bad – a melhor série na TV vai ter um segundo ato. Você não pensaria que uma história sobre um professor do ensino médio que faz crank para que seus tratamentos de câncer não levem à falência sua família poderia ser engraçada, mas é. E suspense. E aterrador. Se falhou a primeira temporada, despache-se e ponha a conversa em dia. Isto é uma grande ranhura.

Obrigado pelo vídeo do YouTube que combina Kevin Bacon e Zac Efron com o “Footloose” do Kenny Loggins. O clip onde o tipo explica porque é que o “High School Musical 3 Made Me Gay!”? Nem por isso.

Obrigado ao romancista de suspense Greg Iles, que nunca coloca um pé errado. Não, obrigado pela Patricia Cornwell, que não corrigiu uma nos últimos cinco anos ou assim.

Obrigado por Dollface e Pin-Up Girl no excelente filme de terror de Bryan Bertino, “The Strangers”. No love for Jigsaw in Saw V. The subhead of Ray Greene’s Boxoffice magazine review reads, ” última parcela…responde à pergunta: “É possível adormecer cometendo pornografia de tortura?” Eu não adormeci, mas me odiei por pagar para ver isso.

Oh, e já que estamos falando de Ação de Graças, aqui está uma nota de fast-food: Obrigado por Checkers, que vende aquelas incríveis tortas de maçã fritas (enroladas em canela – yum). Quanto ao Mickey D’s? Bem… Uh. Mais ou menos obrigado. Vocês sempre fazem em uma pitada, mas suas tortas de maçã não estão no mesmo universo.

Obrigado a vocês e às garotas lá fora na terra do EW, também. Mesmo quando estás chateado com algo que eu disse, adoro a tua paixão e envolvimento no desfile louco da cultura pop americana. Agora vai esculpir um pouco de peru, e vai comer puré de batata enquanto estás a fazer isso. Não te esqueças de adicionar muito molho; ele absorve tanto calorias como colesterol. O teu tio Stevie garante-o.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado.