Como mencionado, esta espécie é carnívora. Ela usa pequenas armadilhas vesicais para sugar as presas insuspeitas. Sua dieta é variada e inclui praticamente qualquer coisa que possa caber em suas armadilhas para bexiga. Um trabalho de pesquisa relata tanto presas animais (rotíferos, cladóceros, copépodes, anelídeos, rizopodas, como pequenos insectos) e “plantas” (Bacillariophyta, Chlorophyta, Cyanophyta, e Euglenophyta).

Felizmente, estas plantas foram introduzidas muito fora da sua área de ocorrência. Em muitas áreas elas estão se tornando prevalecentes o suficiente para serem consideradas invasivas. Por exemplo, pesquisas feitas nas montanhas Adirondack de Nova Iorque descobriram que a presença de populações introduzidas de U. inflata causou mudanças significativas no ciclo dos nutrientes, na química dos sedimentos e na produtividade primária líquida em geral.

Esta é uma espécie muito pura que vale a pena ver mais de perto. Dito isto, se você é um hobbista como eu, é muito importante lembrar que nunca devemos soltar uma espécie (por mais fria que ela seja) em áreas onde ela não é nativa.

Crédito da foto: Dr. Mark Whitten,

Leitura adicional:

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado.