Vou seguindo a dieta livre de glúten para a doença celíaca há 7 meses. Fiquei fascinado com a pergunta: “O que faz um alimento livre de glúten?”. A partir de 5 de agosto de 2014, os alimentos rotulados como “sem glúten” devem estar em conformidade com os seguintes regulamentos da FDA:

  • o alimento ou é inerentemente livre de glúten ou
  • não contém um ingrediente que seja:
    • um grão contendo glúten (por exemplo, trigo espelta) ou
    • derivado de um grão contendo glúten que não tenha sido processado para remover glúten (por exemplo, farinha de trigo) ou
    • derivado de um grão contendo glúten que tenha sido processado para remover glúten (por exemplo amido de trigo), se o uso desse ingrediente resultar na presença de 20 partes por milhão (ppm) ou mais de glúten no alimento.
    • também, qualquer presença inevitável de glúten no alimento deve ser inferior a 20 ppm.

Gluten Free Watchdog faz um excelente trabalho de teste de produtos alimentares no mercado para garantir que eles estão em conformidade com os regulamentos da FDA. Alguns alimentos testam a menos de 5ppm, enquanto outros ultrapassam o limite de 20ppm.

Ponho-me sempre a pensar nisso… como é que é 20ppm em termos práticos? Encontrei alguns grandes exemplos:

  • Um centavo em $10,000
  • Um minuto em dois anos
  • Um centavo em uma pilha de centavos de um quilômetro de altura
  • Uma fatia de pão cortada em um milhão de pedaços. (Você pode ter 20!)

Quando você imagina o quão minúsculo é 20ppm, é mais fácil ver como “trapacear” na dieta sem glúten resulta em mudanças intestinais e sintomas digestivos desconfortáveis. E a contaminação cruzada é um problema real, tanto em casa como enquanto se come fora. As migalhas realmente fazem a diferença.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado.